quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

E bibó Porto, carago!

Há 30 anos e um dia, pelas cinco da manhã, estava eu sentado diante de um televisor a ver um jogo a preto e branco num televisor a cores.
O jogo realizou-se em Tóquio, entre as equipas do Peñarol e do FC do Porto  e em disputa estava a Taça Intercontinental , precursora  do Mundial de Clubes.
Sob uma memorável tempestade de neve que transformou o relvado num batatal onde era impossível jogar à bola, o FC do Porto foi mais feliz e conquistou o título que por duas vezes escapou ao Benfica, copiosamente goleado pelos brasileiros do Santos e pelos mesmos uruguaios do Peñarolem finais do mesmo troféu disputadas nos anos 60.
A vitória épica do FC do Porto culminava um ano de sucessos internacionais, com a vitória na Taça dos Campeões Europeus e na Supertaça Europeia e marcou o início de um conjunto alargado de sucessos internacionais, que tornaram o FC do Porto a equipa portuguesa com mais títulos europeus e mundiais.
Como dizia no final do jogo o comentador da RTP, "a partir de hoje nada será como dantes". Palavras premonitórias e certeiras. Durante 25 anos, a hegemonia dos azuis e brancos foi total. Até que o regresso às influências subterrâneas determinou novo período hegemónico dos encarnados. Até quando? Até que a justiça se pronuncie e os árbitros deixem de ter medo do eucalipto vermelho.
Eu sei que o sucesso dos azuis e brancos custa a engolir aos benfiquistas, mas é isso que me distingue dos adeptos encarnados. É que eu sou capaz de gritar Vivó Benfica ( ora leiam o que escrevi aqui) coisa que nenhum benfiquista consegue fazer em relação ao FC do Porto.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Agradecimentos

Agradeço a  todos os leitores que na caixa de comentários, via mail ou Messenger, me manifestaram o seu apoio e solidariedade neste período difícil que atravessei.
Mais uma vez consegui ultrapassar a situação e espero que dentro de oito semanas possa estar aqui a dar boas notícias.
O meu regresso à blogosfera e às redes sociais está para muito breve, tendo agendado para as 5 horas da manhã o post com que espero concretizar essa intenção.
Aviso desde já  que tenho assistido com nojo  aos últimos desenvolvimentos políticos a nível nacional e internacional e, sobretudo, à desonestidade intelectual  que envolve os debates em torno dessas questões pelo que o post de regresso abordará um tema que devia encher de alegria todos os portugueses.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Dia do Bilhete Postal Ilustrado (81)


Tal como ano passado, durante a época natalícia esta rubrica será preenchida com postais de Boas Festas.
O postal que escolhi para iniciar a época este ano foi-me enviado em 1972 por uma amiga, hospedeira da TAP, que poucos meses antes cumprira o seu sonho de ser hospedeira de bordo.
É um postal original. Fechado, tem o aspecto que se vê na imagem de cima mas, quando se abre, entramos no interior de um avião da TAP onde, ao que parece, os Pais Natal eram muito bem tratados.

Tenham uma boa semana, mas não gastem o subsídio de Natal a comprar porcarias, ok?

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

AVISO AOS LEITORES



Estou em obras de reconstituição ou, se preferirem, de revitalização ( mas sem o apoio de fundos comunitários).
 Preciso de novo vestuário para  proteger o equipamento mas, como já todos sabemos, os alfaiates e a  malta da construção civil nunca cumprem os prazos, por isso, não sei dizer quanto tempo ainda estarei ausente.
Voltarei logo que possível.
Fiquem bem!

domingo, 3 de dezembro de 2017

Dia do Bilhete Postal Ilustrado (80)

Postal recebido em 1959 de minha madrinha, após um acidente doméstico que me afastou definitivamente da bricolage.
Tenham uma boa semana

domingo, 26 de novembro de 2017

Memórias de uma noite de terror




O ano de 1967 foi bastante seco mas, nos primeiros dias de Novembro, começaram a cair as primeiras chuvadas e, na noite de 25 para 26, a região de Lisboa foi atingida por chuva intensa.
De Cascais a Alenquer, o panorama de destruição e morte era desolador. Eu tinha vindo viver para Lisboa há menos de um mês e aquela noite deixou-me apavorado, mas ainda com capacidade para responder ao apelo de apoio às vítimas, prontamente organizado por milhares de jovens.
Apesar dos esforços do Estado Novo em minimizar a tragédia, calcula-se que tenham morrido mais de 700 pessoas.
Naquele ano de 1967, as inundações deixaram a nú a miséria em que viviam muitos milhares de portugueses na região de Lisboa.
Cinquenta anos depois o país está  em seca extrema, foi fustigado por uma vaga de incêndios durante o Verão e não estão previstas grandes chuvadas até final do ano, mas vale a pena recordar os dias de terror daquele  ano de 1967, vendo as imagens do vídeo acima e também  nesta excelente reportagem de Dina Soares e Joana Bourgard. para a RR.

Dia do Bilhete Postal Ilustrado (79)


Florença em 1978

sábado, 25 de novembro de 2017

Memórias em vinil (CCC)


Para esta noite de sábado deixo-vos duas memórias de Rui Veloso.
Para quem não dispense um pezinho de dança, convido-os para  " O Baile da Paróquia"
Para os que preferirem um serão mais intimista, deixo um convite para "O Bairro do Oriente"


Seja qual for a vossa escolha, desejo-vos um belo serão e um excelente domingo.

Lição da semana

Se aprenderes a viver sem stress, gozas a vida a dobrar.