terça-feira, 25 de agosto de 2009

Memories- a canção do dia (28)

"...Oh ja, das wäre schön, bei dir zu sein,
Mit dir zu gehen.
Doch, ich bin einsam, bin immer einsam
Und ich frag mich : Warum ? Sag, warum ?"
(Camillo)

Tenho quase a certeza que ninguém conhece esta canção, mas escolhi-a para canção do dia por duas razões muito especiais. Em primeiro lugar, porque a minha amiga Petra W. faz hoje anos e depois, porque esta foi uma das canções da minha vida. Passo a explicar:
Comecei a falar francês, inglês e espanhol muito miúdo. Aos 10 anos já me fazia entender, traduzia as letras de algumas canções para os meus amigos e fazia uns brilharetes.
Um dia, a minha irmã trouxe-me de presente, de uma viagem à Alemanha, esta canção que estava nos tops. De imediato percebi que gostava dela, mas não entendia patavina. Apenas sabia que aquela canção tinha alguma coisa a ver comigo, porque mexia com a minha sensibilidade.
Tentei encontrar quem ma traduzisse, mas não encontrei. Em Outubro, quando entrei para o liceu, pedi a um professor de alemão que me traduzisse a canção. Ele não a conhecia, ficou intrigado com a minha curiosidade mas, depois de a ouvir, disse-me que aquelas palavras não tinham interesse nenhum para a minha idade. Fiquei furioso, claro, mas no Verão seguinte conheci a Petra W, que finalmente me traduziu. (Ainda hoje não percebi por que razão o tal profesor não me fez a tradução, mas enfim...)
Ouvi esta canção muitas vezes. Até cansar. Muitos anos depois, dei por mim a fazer a mesma pergunta. Vidella - o abstruso ditador argentino- explicava-me, da forma mais cruel, que aquela canção tinha algo a ver com a minha vida. Por isso não me cansei de a ouvir. Ainda hoje tenho aquele pequeno 45rpm de capa branca e letras azuis na minha discoteca de vinil.
Sag Warum, é a canção do dia. Escutem e digam se sentem alguma coisa especial. Creio bem que não...

13 comentários:

  1. Não conheço a música e confesso que senti um pouco de aflição ao escutá-la.Bem, é isso :o)

    ResponderEliminar
  2. Carlos

    Não conhecia a canção.
    Voz forte, potente e marcante.
    Mas o idioma me lembrou de hitórias boas na minha vida.
    Vou contar amanhã lá no Cantinho
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. A mim a letra diz-me alguma coisa, sim. Não pelas mesmas razões que a si, mas... diz. Por quê?, pergunto-me eu também.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Tenho a impressão que todos nós em alguma altura da vida nos debatemos com esta mesma questão.
    A vida é feita de escolhas, a maior parte delas racionais, outras tantas emocionais, sendo que uma, eternamente perguntará à outra como foi possível agir assim...

    ResponderEliminar
  5. Cadê a tradução? Fiquei curiosa!:))

    ResponderEliminar
  6. Que pena , que não posso ouvi-la porque o fio da máquina desapareceu.
    Mas fico imaginando que é linda.
    Com carinho Monica

    ResponderEliminar
  7. Vou ficar com esta música, não apenas para o dia, mas para muitos dias.
    Parece que a procurava sem saber. É a minha música. Ich war immer einsam. Noch heute frage Ich immmer Warum! Danke!

    ResponderEliminar
  8. Olhe, eu percebi: ich bin; was; und; warum; nicht; mich; e warum outra vez.

    E sentir , sentir, mesmo sentir, senti até meio que o cantor era o Abrunhosa lá do sítio. Seria?
    Do meio para a frente era mais do género Tony de Matos e depois volta na onda Abrunhosa.

    ´Tá a ver como eu escutei tudinho?

    Aufidersehen

    ResponderEliminar
  9. «digam se sentem alguma coisa especial. Creio bem que não...» - está a ver como é a vida? o «creio bem que não...» levou-me de volta à minha infância e ao meu avô Kurt, und ich frag mich nicht warum, porque eu sei, era uma das músicas dele...
    obrigada pelo acaso

    ResponderEliminar
  10. é verdade, carlos paião morreu há 21 anos. Mas curioso, hoje conversava com a minha mãe sobre a morte dele e o incêndio no Chiado (li-o aqui), e ela insitia que não foi na mesma altura. No dia em que morreu, ele telefonara-lhe a dizer que estava a sair de Lisboa e que quando chegasse a Coimbra tornava a ligar para encomendar o jantar (a minha mãe tinha um restaurante na altura), infelizmente não tornou a telefonar.
    Por outro lado, também diz que quando ardeu o chiado, estava no estrangeiro...

    quanto a mim... memória de galinha... nem sei o que fiz hoje.

    ResponderEliminar
  11. Parabéns pela excelente escolha!Sendo
    uma canção de 1959,é daquelas que ficam na retina de quem a ouviu há muitos, muitos anos, pela 1ª. vez!
    A poderosa e excepcional voz do Camilo, tornam esta canção numa obra universal, em que a língua não é o mais importante: 'e uma canção de todas as línguas! Obrigado!

    ResponderEliminar
  12. Hoje,13/Novº.2010
    Acabei por encontrar música nas crónicasdorochedo e que música!Aí pelos princípios dos anos 60 frequentava o café/esplanada que havia ao cimo do Parque Eduardo VII.Estudava-se, namorava-se e ouvia-se música que saia duma maquineta de discos. 2 canções sempre na berra: Petite fleur (só clarinete) e warum pelo Camilo que dizia" estou sozinho e pergunto-me porquê?"
    Receba um abraço.
    Maria Lx.

    ResponderEliminar